Parcerias Estratégicas do Brasil: a construção do conceito e as experiências em curso

O sistema de relações internacionais do Brasil a partir dos anos noventa passou por transformações intensas e por ajustes de forma e de conteúdo necessários à adaptação aos constrangimentos que caracterizam a ordem internacional que emerge desde o fim da guerra fria. Nesse sentido, qual o lugar ocupado pela política externa na realização desse objetivo? Como se flexionou a visão de mundo universalista brasileira e, principalmente, como se adaptou o universalismo geográfico à estratégia de ação implementada ao longo desse período? Qual o lugar das parcerias  tradicionais no sistema de relações internacionais do Brasil e, especialmente, como se compatibilizam com os esforços de construção de novas parcerias estratégicas?

É urgente buscar compreender as formas de cooperação política e econômica que consubstanciam os relacionamentos bilaterais prioritários para o Brasil. Daí decorre não apenas a necessidade de se investigar a evolução da política externa desses parceiros, como também o que pode ser denominado como atributos internacionais, ou seja, as interfaces existentes entre estas e os sistemas políticos, o processo decisório, as interrelações entre política externa e política de defesa, o peso do sistema econômico nas inflexões da ação internacional, a atuação regional, as suas posições face ao multilateralismo político e econômico e o próprio manejo das suas prioridades internacionais em nível bilateral.

O Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília desenvolve desde 2007, em articulação com outras 10 instituições brasileiras e estrangeiras, um grande projeto integrado de pesquisa que tem como foco a evolução recente do sistema de relações internacionais do Brasil. Financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, o projeto “Parcerias Estratégicas do Brasil: a construção do conceito e as experiências em curso” é um dos grandes projetos integrados que foram desenvolvidos no contexto do Edital Renato Archer.

Concretamente, o objeto do projeto é o conjunto de interações políticas, econômicas, sociais e culturais, idéias, valores e princípios de ação, manifestadas na sua atuação multilateral e no desenvolvimento do conjunto das suas relações com outros países) e, especialmente, o conjunto de relações bilaterais prioritárias que podem ser denominadas genericamente de parcerias estratégicas.

Esse largo conjunto tem três configurações claras: a) a dimensão regional, em que se compreende tanto a visão sistêmica da América do Sul no plano econômico, político e estratégico, quanto o estudo em separado dos atributos internacionais dos seus países (política externa, etc) e, evidentemente, das relações destes com o Brasil; b) a dimensão extra-regional, em que se compreende o estudo dos atributos internacionais de países que têm peso específico tradicional para a ação internacional do Brasil (Estados Unidos e o conjunto europeu), quanto o conjunto de parcerias configurado mais recentemente, (compreendido pela China, África do Sul, Nigéria, Índia e Rússia) quanto, evidentemente, a formas do relacionamento político e econômico e as variantes da sua cooperação em arranjos regionais e em foros multilaterais e, c) a dimensão sistêmica em nível global, em que se compreende o estudo dos condicionantes políticos, econômicos, estratégicos, tecnológicos, etc, que contigenciam a capacidade que apresenta o Brasil para realizar interesses nas suas relações com os parceiros regionais e extra-regionais, como também para instrumentalizar a sua atuação em foros multilaterais.

O projeto de pesquisa  se encerrará com a publicação de uma série de livros, que conta com o patrocínio da Petrobras. Essa série, justamente batizada “Parcerias Estratégicas” sera desenvolvida com a Editora Argumentvm – Fino Traço e os seus títulos serão publicados ao longo de 2011, sendo o programa editorial implementado pelo Centro de Estudos sobre o Pacífico e pelo Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília. O da série de livros é dar ao público em geral o acesso a literatura de alto nível sobre os desafios da inserção internacional do Brasil, na forma de uma reflexão sistemática sobre os seus grandes relacionamentos estratégicos.